"PWA vs App Nativo: Qual dos dois é melhor?" - Entenda porquê essa não é a pergunta certa a ser feita.

4 min de leitura

Ao se pensar em navegação online, a experiência do usuário é prioridade número um. É cada vez mais difícil captar a atenção do usuário, que dirá mantê-la focada em uma mesma coisa. Os conteúdos precisam ser relevantes, engajadores e com a melhor interface possível, tanto esteticamente quanto funcionalmente.

Dessa forma, uma grande questão no mundo online é a migração de conteúdo para as diferentes plataformas digitais, como computadores, celulares e tablets.

Já não existe mais a dúvida que a adaptação para cada dispositivo é fundamental. Aplicativos nativos sem dúvida oferecem a melhor experiência para os usuários que estão conectados por celulares ou tablets. Isso por que eles permitem funções inéditas e exclusivas, oferecendo uma navegação imersiva e intuitiva.

Contudo, uma das barreiras a ser superadas ainda é: como persuadir o cliente a baixar o aplicativo?

Existem diversas coisas que você pode fazer, como oferecer conteúdo exclusivo, ofertas, promoções, sorteios, além da própria facilidade de navegação. Ou seja, coisas que façam com que, uma vez baixado, eles nunca mais queiram desinstalar. Mas falaremos sobre isso em um outro artigo.

Em todo esse contexto de conflito entre ter a melhor experiência e fazer com que baixem o app, surge o PWA.

Essa sigla, que significa Progressive Web Apps ou Aplicativos Web Progressivos, representa uma nova forma de aplicativos, uma evolução dos Web Apps.

Eles recebem esse nome por ganharem gradualmente funcionalidades que aproximam esses web apps de aplicativos nativos, podendo até ser instalados na home do smartphone.

Os PWAs vão muito além de um site responsivo. Com eles é possível até instalar um ícone que fica na home do seu celular ou tablet que te leva direto para o conteúdo.

Mas afinal, qual dos dois devo investir?

Um dos maiores erros é achar que um é concorrente do outro. Na verdade, os dois são complementares. Por mais que um PWA possa oferecer diversas vantagens, ele não vai proporcionar todas as interações que um app pode.

Não se trata de um ou outro, mas saber usar os dois como oportunidade de engajamento do seu cliente.

O PWA é uma excelente estratégia de contato inicial entre um potencial cliente com a sua marca, pois ele terá acesso ao conteúdo no mobile da melhor maneira possível sem precisar baixar nada e sem redirecionamento. Ele será impactado pelo seu conteúdo logo de cara.

Uma vez que ele perceba que a sua marca dialoga diretamente com ele, o cliente irá baixar o seu aplicativo e acessá-lo de maneira mais recorrente.

Dessa forma, você não perde nenhuma oportunidade de impactar o público com o conteúdo da sua marca.

Vantagens de um PWA

  • Responsivo: se encaixa mais facilmente em qualquer resolução de tela.
  • Independente de conexão: com a tecnologia de Service Workers, o aplicativo pode funcionar até quando o usuário está offline.
  • Interações tão avançadas quanto de apps.
  • Sempre atualizado: o usuário não precisa “baixar uma atualização do app” de tempos em tempos. Como está tudo na web, na próxima vez que ele abrir o app a nova versão já estará lá.
  • Seguro: são desenvolvidos somente em protocolo HTTPS.
  • SEO-friendly: os mecanismos de busca conseguem encontrar o conteúdo dos aplicativos (o que consequentemente beneficia tanto os usuários quando as empresas).
  • São mais rápidos de desenvolver e custam menos também.
  • Instalável: podem ser adicionados à home screen do celular, permitindo que os usuários “salvem” os aplicativos que eles considerarem mais úteis ou importantes.
  • Não ocupa espaço na memória do seu celular, pois o ícone salvo funciona somente como um hyperlink/deep-link para o conteúdo.
  • Linkável: mais fáceis de compartilhar conteúdo ao enviar o link para alguém.

Barreiras ainda existentes para se ter um PWA:

  • Nem todos os navegadores suportam esse tipo de aplicação.
  • Os usuários tendem a confiar mais em apps para disponibilizar informações para compras
  • O PWA não tem acesso a todas as funcionalidades importantes do celular, como Bluetooth, contatos, sensores de proximidade, NFC, etc.
  • Não é possível ter comunicação inter-app. Essa funcionalidade serve para a troca de informações e ações para outros apps.
  • Outra funcionalidade que não é possível em PWAs é o Geofencing. Essa é uma poderosa ferramenta de aumento de conversão, permitindo ações de acordo com o comportamento de deslocamento do usuário dentro de uma área pré-determinada. Por exemplo, enviar uma notificação push quando um usuário entra em uma raio perto de uma loja física.

Conclusões

Existem vários esforços para diminuir cada vez mais as barreiras entre os usuários e apps. Pode ser que as lojas de aplicativos evoluam tecnologicamente para que o processo de download e instalação torne-se mais fácil e integrado aos navegadores, sem precisar de redirecionamento.

Contudo, ainda é difícil de saber se caminharemos para evolução dos Progressive Web Apps ou simplificação da instalação de aplicativos nativos.

Enquanto isso, os PWAs aliados ao app nativo são uma excelente estratégia para aumentar engajamento e, principalmente, conversão no canal mobile que representa mais da metade dos acessos online das lojas.